google-site-verification: google90e7369a9bb5e022.html

Tudo sobre Públicos-Alvo no Google Ads 2022

Públicos-alvo no Google Ads

Criar Públicos-alvo no Google Ads

Este artigo é dos mais importantes que você pode ler sobre o Google Ads.

Acho que conhecer bem as opções de públicos-alvo no Google ads pode ser determinante para criarmos campanhas de alta, ou altíssima eficácia.

Pense comigo um só instante. Como é que era feita a publicidade no passado? Pegávamos num determinado ativo criativo e difundíamos através de um ou vários meios de comunicação. Ponto final.

As audiências desses meios de comunicação eram mais ou menos estudadas por empresas como a Marktest. A função do diretor de media de uma empresa era tentar fazer uma correta sobreposição do nosso público-alvo desejado com o publico do meio. Chamava-se a isso afinidade.

Essa afinidade era baseada em dados demográficos, regionais e eventualmente categorias socioeconómicas.

A partir daí disparávamos a nossa publicidade e rezávamos para que estivéssemos a alcançar as pessoas com maior potencial para comprar o nosso produto ou serviço.

Este é o conteúdo deste artigo para o caso de querer navegar mais rapidamente para alguma parte.

Criar Públicos-alvo no Google Ads.

Como mudou a segmentação por públicos-alvo com o Google Ads?

Conhecer a persona do nosso produto, serviço ou organização.

O potencial por descobrir.

Quais os tipos de públicos-alvo no Google Ads?

Públicos-alvo no goolge ads de segmentação.

Públicos-alvo no google ads de observação.

Demográfico.

Segmentos de dados Demográficos Detalhados.

Segmentos de público por afinidades.

Segmentos de Público No Mercado.

Segmento de Público de Eventos de Vida.

Segmentos de Público Personalizados.

Audiências Semelhantes.

Listas de Clientes.

Visitantes website.

Remarketing.

Origens de Dados.

Conclusões.

Como mudou a segmentação por públicos-alvo com o Google Ads?

O mundo mudou e muito. O marketing digital veio transformar as formas como comunicamos com os nossos clientes.

Antes tínhamos uma audiência enorme. As formas como a podíamos segmentar eram limitadas. Podíamos  tentar segmentar os públicos-alvo por regiões. Por exemplo, nos mupi e outdoors. Podíamos só ter billboards na região de Lisboa se quiséssemos. Ou podíamos fazer publicidade no programa de rádio regional de Setúbal.

Era díficil. Deitávamos à sorte.

Agora não. Agora pegamos no universo de todos os clientes potenciais e com precisão laser, podemos escolher a quem nos vamos dirigir.

públicos-alvo no google ads

É disso que tratamos aqui.

Já viu a diferença que isso pode fazer? Em vez de publicitar um novo carro elétrico na televisão nacional para todas as pessoas que vejam a RTP ou a SIC, agora, você vai poder chegar às pessoas que muito bem entender.

Pode pré-escolher a quem dirigir a sua comunicação. Pode quase fazer um picking de com quem quer falar.

Já não vai gastar dinheiro em anúncios que afinal vão ser vistos por crianças em idade escolar, quando que queria era mostrar o seu anúncio a apaixonados por novas tecnologias e interessados em preservar o ecossistema.

Imagine o que isso significa em termos orçamentais. Imagine que o seu mercado potencial são apenas 10% da população. Antes teria que teoricamente gastar 10X mais para atingir com a sua mensagem aqueles que interessavam. Agora vai direito ao assunto.

Esta tarefa é muito facilitada no Google Ads.

O Google põe à disposição dos utilizadores ferramentas espetaculares que nos ajudam a fazer essa segmentação. Este artigo trata de explorar como criar públicos-alvo no google ads.

Podemos segmentar os públicos-alvo no google ads da nossa campanha das formas mais criativas que se possam imaginar. Vamos lá a ver como funciona.

Conhecer a persona do nosso produto, serviço ou organização

Antes de avançarmos mais, gostava só de referir a importância de conhecermos bem quem são os nossos clientes. Esta é uma verdade pela qual todos os marketer se regem.

Desde os tempos do Philip Kotler e da sua teoria dos 4 P’s que todos sabemos que as organizações se devem organizar à volta das necessidades do seu publico. Dos seus clientes.  E que para conhecer as necessidades do nosso cliente é essencial sabermos quem ele é.

Mais recentemente esta mesma realidade foi sendo desenvolvida com ferramentas de criação das Personas de cada organização. Porquê?

Segundo a smart insights uma persona é,

Ou seja a agregação das principais características dos clientes mais importantes da nossa organização. Uma pessoa modelo. Um representante típico do nosso mercado.

Para conhecermos o que ela necessita e que lhe devemos oferecer.

É também importante para sabermos com quem devemos comunicar. Ou seja, como devemos segmentar as nossas campanhas de google ads.

E como se criam as personas de uma organização?

É fácil. Basta fechar os olhos e imaginarmos com são os clientes que entram pelas portas dentro do nosso negócio.😁

Sabermos quais são as suas características demográficas, quais são os seus interesses, onde  se encontram e que tipo de necessidades tentam cobrir.

Um bom exercício para si é ir a este link da Hubspot e ao seu criador grátis de personas e fazer o exercício para o seu negócio.

Existem muitas outras ferramentas.

É um bom principio saber quem são as suas personas.

A novidade é que o Google ads nos pode dar essa informação de mão beijada. Não precisamos de fechar os olhos e pormo-nos a adivinhar.

Afinal se nós conseguimos saber quem gera mais conversões, leads ou vendas no nosso website, possivelmente vamos conhecer a nossa persona como ninguém.

Voltamos a este assunto mais à frente.  

O potencial por descobrir

Suponhamos a minha querida Dedalmania Arranjos de Costura como exemplo. É uma empresa Portuguesa. Só tem lojas em Lisboa. Portugal tem 10 milhões de habitantes. Somos poucos mas bons! 😂

O meu mercado não é esse. E no centro de Lisboa. Portanto uma primeira segmentação que faço com a minha persona, é de alguém que vive em Lisboa. Segmentação Geográfica. Ora, já falamos só com 500 mil pessoas.

Dessas, nem todas as pessoas usam costureiras para tratar da sua roupa. A maior parte compra a roupa já à sua medida. Raramente foi a uma costureira tratar da sua roupa.

Mas para começar uma campanha de Google ads de pesquisa a minha única alternativa, se não tiver mais informação, é lançar uma campanha para essas pessoas.

Faço a minha segmentação com um raio da localização dos meus anúncios. Certo?

Também já estou a segmentar bastante mais porque só quero que o meu anúncio dispare quando alguém pesquisa determinados termos: que correspondam às minhas palavras-chave.

O que se passa aqui, é que dessas 500 mil, existem talvez, atirando muito por baixo umas 10.000 que de momento estão à procura dos meus serviços.

Eu tento chamar a sua atenção recorrendo às várias palavras-chave. Como sou bom gestor de google ads, apareço à frente dessas pessoas. Quando pesquisam por qualquer coisa que esteja relacionada com o  serviço de arranjos de roupa aparecem os meus anúncios de pesquisa.

Acontece porém que só 12,5% é que clicam nos meus anúncios. É a minha click-through-rate (CTR). Nada mau.

Mas 87,5% das pessoas que procuram o meu produto não visitaram o meu site. Portanto dificilmente se vão tornar clientes.  

Por outro lado, infelizmente, não sei porquê (😂), nem toda a gente que chega ao meu site se transforma em cliente.

Consigo uma taxa de conversão (CVR) de 25% dos meus clientes.

Isso só me permite converter em clientes 300 dos 10 mil que claramente podem vir a tornar-se clientes.

Este é outro paradigma que os públicos-alvo no Google ads ajudam a resolver e a potenciar.

Os 10 mil clientes iniciais, estão identificados através de cookies. O Google saber quem são. Através de cookies e dessas coisas complicadas, eles têm os utilizadores que procuraram por “arranjos de costura” identificados.

Posso alcança-los noutros momentos da sua jornada do cliente.

Em particular, neste exemplo, podemos alcançar as pessoas que fazem pesquisas por “arranjos de costura”. Para isso utilizamos os “segmentos personalizados”.  É um dos tipos de públicos-alvo no google ads.

Podemos por exemplo fazer campanhas de youtube ou de display par esses clientes.

Podemos apresentar uma ótima oferta. Um desconto de 20% no primeiro serviço que nos solicitem. Apenas para esse segmento.

Portanto não só ficamos a conhecer o nosso público-alvo melhor, como ainda podemos modelar a nossa comunicação em função de cada segmento que escolhermos. Acredite, as possibilidades são potentes e infinitas. Depende da imaginação de cada um.

E depois há os clientes que foram ao meu site e não converteram. Com esses faço a mesma coisa. Através do Google Analytics crio uma lista de todos os clientes que visitaram o meu site e crio uma campanha de display especifica, explicando as bondades de ser cliente da Dedalmania. É o chamado remarketing.

São apenas dois exemplos de públicos-alvo no google ads. Está a ver o potencial? De repente, de podermos ter conseguido 300 clientes, como muito, de 10 mil, já podemos estar em contato com os 10 mil.

E isto é só o inicio. Leia até ao final, porque este mundo, pode mudar a sua visão de como vê a publicidade digital, para sempre. 

Quais os tipos de públicos-alvo no Google Ads?

Vejamos então os tipos de públicos-alvo no google ads.

Vá até ao menu superior e escolha “ferramentas e definições”. Encontra aí o menu de Gestor de Públicos-alvo no google ads.

menu gestor de públicos-alvo no google ads

Esta é uma das formas de lá chegarmos.

Outra é diretamente quando criamos uma campanha. Viu o episodio no youtube sobre a criação de campanhas? Pois, nessa altura não falámos sobre como criar públicos-alvo.

É chegada a altura de o fazer.

Normalmente, em campanhas de pesquisa, como já estamos a segmentar geograficamente e através de palavras-chave a quem nos dirigimos, não é muito comum a utilização de públicos-alvo.

Mas como pode ver, é uma das opções na criação de uma campanha é associarmos públicos-alvo no google ads.

Chamo a atenção para os dois tipos de associação que podem ser feitos,

Públicos-alvo de segmentação

Basicamente são públicos-alvo no google ads que elegemos para segmentar a distribuição dos nosso anúncios. Ou seja, só apresentamos a nossa publicidade a essas pessoas. Se o Mário ou a Joana não pertencerem a esse grupo de usuários, não verão os nossos núncios.

Públicos-alvo de observação

São os públicos-alvo ou as audiências que escolhemos para poder acompanhar a sua evolução ao longo do tempo. Não significa que estejamos a apresentar anúncios só aos mesmos.

São a tal informação que ao longo do tempo nos permitirá conhecer quais são os segmentos ou grupos de clientes ou audiências que têm melhor performance no nosso site.

Uma recomendação. Usem sempre os públicos-alvo de observação.

Não custa mais e podem vir a ser essenciais para o futuro. Podemos querer escolher publicos que sejam mais otimizados no futuro. Se tivermos informação estatística sobre o seu comportamento passado, teremos maior facilidade em saber a quem nos dirigir.

Se nada fizermos, a informação sobre o nosso público-alvo vai-se resumir a informação demográfica relativamente básica.

Depois vem então a decisão de saber que públicos-alvo no google ads utilizar.

Como já fui anunciando existem tipos muito diferentes de públicos-alvo. Eu gosto de os identificar em função da sua posição relativa no funil de vendas de uma empresa.

E já agora, para tentar simplificar a informação. Os públicos-alvo no Google ads são a combinação que muito bem quisermos fazer de vários segmentos de mercado.

E segmentos são determinados grupos específicos de clientes. Se não percebeu o que acabei de escrever recomendo releia.

Os públicos-alvo no google ads são um conjunto que nós fazemos e no qual incluímos os vários tipos de segmentos ou audiências do google e de outras origens de dados.

Por agora vejamos então quais são os vários tipos de segmentos de público-alvo

Demográfico

São a definição de públicos ou audiências mais tradicional.

O google sabe ou deduz esta informação pela maneira como navegamos na internet. Muita informação é captada.

Desafio a que veja o seguinte link.  https://myaccount.google.com/data-and-privacy

Se tiver uma conta no Google, carregue por exemplo em “definições de anúncios”

dados pessoais no google

Pois é. Incrível a informação que o Google tem sobre nós.

Agora já começa a perceber como é que isto dos cookies funciona. Não fique assustado. Toda esta informação está perfeitamente anonimizada e protegida. É parte do core business da Google mantê-la assim.

Lembre-se que o Google tem imensos pontos de contato com os utilizadores.

Desde o browser que  a maior parte nós usamos (Chrome), ao Youtube o serviço de email mais famoso (Gmail) até às apps, maps, é um mundo de contatos diretos com utilizadores, com Ip’s. O cerne do seu negócio é precisamente ter toda esta informação comercial organizada.

Portanto como se pode ver, eles sabem a sua idade, sabem o seu sexo, as línguas que fala e todos os dados demográficos que possa imaginar.

Portanto quando estamos a criar um público-alvo, algumas das opções demográficas que podemos definir são as seguintes,

dados demográficos no google ads

Por exemplo, se estou a vender roupa de mulher online, é possivel que queira restringir os meus anúncios a mulheres.

Se tenho uma clinica geriátrica, o meu cliente final costuma ter uma certa idade. Ou talvez me queira dirigir aos filhos dos meus clientes que são quem decide para onde enviar os pais.

Uma coisa importante a este respeito, é que nem sempre o Google tem toda a informação.

Se formos ao histórico das nossas campanhas, na coluna do lado esquerdo em públicos-alvo, podemos ver a demografia das pessoas que têm clicado nos nossos anúncios.

dados demográficos no google ads

Esta informação é fantástica. Podia perder horas aqui a explicar o que pode retirar daqui. Este quadro representa as distribuição de idades na Dedalmania pelo numero de cliques dos últimos 30 dias. E a barra vermelha é o ROAS de cada grupo.

Claramente o grupo de clientes que me interessa mais tem mais de 45 anos. Afirmativo. Confirmo com a realidade. Os jovens são mais adeptos de fast Fashion, enquanto que com a idade as pessoas se habituam a ter peças de maior valor e que arranjam com mais frequência.

Ajuste de Licitação por Segmentos

O que isto pode implicar é que eu posso fazer licitação especifica para estes grupos.

Mas o outro ponto que eu queria fazer, é que na coluna da direita, podemos ver que há um grupo de pessoas ou utilizadores que o Google não consegue definir em termos de idade. São os desconhecidos.

Se forem ver o separador do rendimento verificarão que em Portugal 100% do mercado é desconhecido. Há apenas alguns países onde essa informação é disponibilizada.

Portanto ao fazermos segmentação, estamos a excluir todos os desconhecidos. Cuidado, que não seja uma parte substancial.

ALERTA: Um dos efeitos nocivos da segmentação e da criação de públicos-alvo no google ads é que podemos restringir demasiado o nosso mercado.

Para licitar com CPC máximo os clientes que mais me interessa, basta neste apartado fazer os ajustes de lance que se justifiquem.

Podemos fazê-lo por grupo de anúncios.

Filtro em primeiro lugar pelo critério que me interesse, se for necessário.

E depois posso aplicar os lances que entender. Ou posso aumentar ou reduzir em percentagem ou valor os mesmos.

ajuste de lances em públicos-alvo no google ads

A partir deste momento posiciono-me de forma muito mais forte nesse segmento que eu já sei que me produz um melhor ROAS.

Segmentos de dados Demográficos Detalhados

Voltando à informação que o Google tem sobre nós. Volte lá aos dados que eles têm sobre si. Já reparou que sabem se é pai/mãe? Se é casado/a? Qual o seu nível de ensino? Você nunca lhes disse, mas baseado no seu histórico de navegação eles conseguem lá chegar. Nem sempre acertam, mas estão bem próximos.

Os dados demográficos detalhados assentam nisso mesmo.

Podemos escolher o nosso target por,

  • Estatuto parental
  • Estado civil
  • Estado de propriedade de habitação
  • Emprego. A industria e a dimensão da empresa

Podemos inclui-los ou exclui-los da criação de um público-alvo para as nossas campanhas se isso for relevante.

Segmentos de público-alvo de afinidade

Os interesses das pessoas o Google divide em Públicos alvo com afinidades e no mercado.

As afinidades são aquelas atividades que as pessoas parecem estar mais à procura de informação e ainda não têm intenção de comprar.

Se eu visitar com frequência sites de faça-você-mesmo (DIY em Inglês) o Google vai-me classificar como tendo essa afinidade.

Outra forma muito interessante de segmentar os nossos clientes é através dos interesses que os mesmos têm demonstrado no seu histórico de navegação.

E existem imensas por onde escolher.  E que depois ainda se dividem em sub grupos.

Estas são as categorias principais de afinidades,

segmentos de público-alvo por afinidades no google ads

Mas depois vejamos como se subdivide a classe por exemplo Gastronomia e Restauração,

Outras há que se subdividem em muitos mais sub grupos.

Portanto há pano para mangas. São 156 afinidades diferentes. Vale a pena perder um bocado de tempo a ver quais são as categorias. Algumas são tiro e queda.

Segmentos de Público-alvo No Mercado

A diferença entre afinidades e segmentos no mercado é fundamental. Aqui já tratamos das pessoas que estão ativamente no mercado à procura de determinado produto ou serviço. Por exemplo as pessoas que procuram no motor de pesquisa: “Preço de relógio Rolex” são candidatos a pertencer a um segmento de “relogios e relojoaria”.

Obviamente que se sou uma relojoaria, vou querer dedicar-me a esse público-alvo com máxima proeminência.

Mas caro leitor, o numero de categorias “no mercado” sobre para quase 1.000.

As categorias principais são,

segmentos de publico no mercado do google ads

Impressionante não é?

Eu posso alcançar pessoas que estão interessadas, ou no mercado à procura de,

Sports & Fitness/Fitness Products & Services/Gyms & Athletic Clubs

Já viu o que isto não pode representar para um ginásio novo em Lagoa no Algarve?

Segmento de Público de Eventos de Vida

Este é outro segmento muito giro. Aqui o que o Google conseguiu foi identificar algumas das fases típicas da vida pelas quais as pessoas estão a passar.

eventos de vida no google ads

Mais uma vez, se eu tenho um cliente que vende espaços para bodas de casamento, a quem acho que segmentariam a minha campanha de pesquisa? Casamento em breve, right?

Segmentos de Público Personalizados

Até aqui estivemos a falar dos segmentos de públicos-alvo no Google Ads que são obtidos diretamente pelo Google e que são postos à disposição do utilizador.

Agora entramos em algo um pouco diferente.

Agora vamos falar de segmentos que nós próprios temos a capacidade de criar de uma forma ou de outra. Por isso se chamam personalizados.

Isto pode-se fazer diretamente do Gestor de Públicos-alvo no google ads.

Este seria um exemplo de um segmento que poderia criar se tivesse um e-commerce de vendas de raquetes de ténis,

Basicamente trata-se desta coisa com imenso alcance. Podemos modelar um segmento que leve em consideração,

  • As pessoas que tenham interesses em qualquer palavra-chave que escolhamos
  • Que recentemente tenham feito pesquisas relacionadas com determinadas palavras-chave
  • Que tenham visitado determinados sites
  • Que tenham usado determinadas apps

Se eu tiver uma loja multimarca de carros, é muito possivel que tenha todo o interesse anunciar para as pessoas que tenham visitado o site das várias marcas de carros que vendo no meu stand.

Serão seguramente pessoas que estão interessadas em carros e sobretudo nas marcas especificas que eu vendo.

Audiências Semelhantes

Quem já ouviu falar em audiências look-a-like já sabe do que se trata. Essa é a designação que o Facebook dá a este tipo de audiência.

O principio é relativamente simples. Nós criamos e alimentamos a plataforma com segmentos criados.

Podem ser como vamos ver a seguir, listas de clientes ou públicos de remarketing.

O Google de forma automática, reúne a informação sobre os mesmos e procura na sua enorme base de dados pessoas, ou utilizadores que tenham características semelhantes a esse grupo.

Imaginemos novamente que eu tenho um e-commerce que vende raquetes de ténis. Já tive a oportunidade de criar listas de clientes, as quais subi para o Google Ads.

O Google pega nesses utilizadores, identifica os pontos em comum que têm de demografia, afinidades,  no mercado, etc…. e vai à procura de outros utilizadores que tenham um grau de semelhança com os mesmos elevados. E cria essa nova lista de audiência semelhante.

No fundo, fazem com precisão matemática e algorítmica, aquilo que nós faríamos deitando-nos a advinhar quais os interesses ou segmentos no mercado que seriam preferenciais para nós.

É uma ferramenta muito potente.

Quero apenas recordar a este respeito, que estes segmentos são criados automaticamente pelo Google.

Listas de Clientes

Agora entramos naquilo que o Google chama de “seus segmentos de dados”.  Basicamente informação que é específica do nosso negócio.

Pode ter várias formas,

  • Visitantes do website
  • Utilizadores da app
  • Utilizadores do Youtube
  • Listas de clientes

Começando pelo último que é o mais relevante.

Podemos, se tivermos, carregar os dados dos nossos clientes para o Google Ads e utilizá-lo como público-alvo.

Apesar de isto ser muito atraente à primeira vista, a grande maioria das PME’s do nosso Pais, não poderão usar estas modalidade como target das suas campanhas. Só poderão utilizar este segmento, como público-alvo de observação.

O Google reserva esta bomba atómica só para clientes que tenham cumprido com todas as suas regras e politicas, que tenham uma conta ativa há mais de 90 dias. O problema é que só disponibiliza a opção para empresas que também tenham gasto 50 mil dólares ou equivalente na sua conta de Google Ads.

Ora, isso não é para toda a gente. É aliás para muito pouca.

Não se pode fazer ajustes de lance para estes públicos pelas mesmas razões. As listas de semelhantes que sejam geradas também só podem ser utilizadas no formato “observação”. Obrigadinha Google. 😡

De qualquer forma, ainda podem ser usadas para observação e muito importante para criar exclusões.

Exclusões Públicos-alvo no google ads

Sim porque um público-alvo pode especificamente escolher um segmento que queiramos excluir. Um bocado como nas palavras-chave negativas. É como estarmos a negativar públicos, ou,  segmentos.

Isso pode-se tornar muito relevante se por exemplo, queremos excluir a nossa base de clientes atuais da publicidade. Podemos achar que não faz sentido estar a gastar recursos com os clientes atuais.

Para o fazer teríamos que subir a base de dados dos emails, telefones e moradas dos nossos clientes e utilizar esse segmento para negativar o público-alvo.

Já agora, a exclusão de públicos-alvo pode excluir listas mas também qualquer outro tipo de segmento.

Tal como podemos incluir no Público-alvo, podemos excluir de uma campanha ou grupo de anúncios determinados segmentos. Afinidades, no-mercado, eventos de vida etc….

Voltando à lista de clientes. O carregamento faz-se de uma forma simples.

Temos que basicamente criar um ficheiro CSV para o qual fazer o carregamento da informação dos nossos clientes. Obriga a uns determinados cabeçalhos. Que têm de estar em Inglês.

O quadro onde se criam estas listas é bastante auto explicativo.

listas de clientes em google ads

Podemos ainda fazer listas de clientes a partir de carregamento de Id’s de utilizadores e de Id’s de utilizadores móveis. Isto já são coisas muito avançadas que duvido que mais de 1% dos utilizadores sequer utilizem.

Já agora referir, que podemos determinar o tempo que estes utilizadores ficam na respetiva lista criada. Pode haver regras de proteção de dados que justifiquem por uma data de expiração nos dados importados.

Visitantes website

Eu avisei que hoje íamos ter uma conversa longa.

As opções são infinitas.

Esta parte é importante. Basicamente o Google pode através do seu conhecimento da interação com o nosso site criar listas de usuários que tenham determinadas características.

Já agora, para que não estranhe, o Google cria vária coisas e forma automática.

Como podem ver na coluna do tipo de segmento muitos destes dados foram criados automaticamente.

Nos visitantes ao website podemos personalizar muito mais esta informação. Por exemplo escolhendo utilizadores que tenham visitado uma página de obrigado depois de submeterem um formulário.

Isto permite mais uma vez aumentar a eficiência dos nossos Google Ads. Por exemplo no caso da Dedalmania, eu posso querer dirigir a minha publicidade a pessoas que tenham apenas visitado as áreas do meu site dirigidas a clientes corporativos.

A forma de comunicar no negocio b2b é muito diferente.

A criação de listas de visitantes ao website é intuitiva e penso que dispensa explicações mais detalhadas neste artigo. É só importante a esta fase que saibam como se utiliza.

Também não me vou debruçar no presente sobre os utilizadores da app ou do youtube. O principio é o mesmo.

Podemos utilizar todas essas interações para criar públicos-alvo no google ads. Por exemplo no caso do youtube, podemos definir listas assentes em,

1.Viram qualquer um dos vídeos de um canal

2. Viram determinados vídeos

3. Viram qualquer um dos vídeos (como um anúncio) de um canal

4. Viram determinados vídeos como anúncios

5. Subscreveram um canal

6. Visitou uma página do canal

7. Gostaram de qualquer um dos vídeos de um canal

Isto relativamente ao canal de youtube ou outros semelhantes relativos aos utilizadores da app.

Remarketing

Preciso de mais umas 20 páginas só para falar sobre remarketing. Está preparado? 😄

É que isto não acaba aqui. É que podemos pegar por exemplo nas listas de clientes e comunicar com os clientes todos, ou os visitantes do site.

Essa possibilidade de continuar a conversa com alguém que interagiu com os nossos anúncios designa-se por remarketing.

Há muitas forma de o fazer. As origens de dados são as mais variadas. A fonte de informação pode ser de muitas origens.

Origens de Dados

Se alguém esteve atento, no Gestor de Públicos-alvo no google ads ainda existe um separador que se chama “As suas origens de dados”.

Ora isto não é mais do que a ligação do Google Ads a outras fontes de informação,

Pode ser a própria etiqueta do Google Ads que está instalada no nosso site, mas principalmente é o Google analytics.

Quando ligamos as duas bases de dados, as mesmas passam a trocar informação. Vejam o artigo sobre a matéria neste blog.

Como podem ver na imagem o Google analytics tem 25 listas de clientes.

São as coisas mais variadas. Quem conhece o Analytics, sabe que a criação de públicos-alvo no mesmo é matéria para outro artigo muito longo.

O que é importante a meu ver dizer a este momento do campeonato, é que, eu prefiro bastante mais utilizar e fazer publicos-alvo no Google analytics do que no Google ads.

A principal razão é que o Google analytics tem toda a informação sobre a minha propriedade ou website. O Google ads tem uma visão limitada à interação com os meus anúncios.

Ou seja, eu posso criar os mais variados publicos no Google analytics que os mesmos serão processados e enviados para o Google ads.

Alguns exemplos de coisas que tenho feito no Analytics e que posso partilhar,

  • Clientes que visitam mais que 2 páginas do site: entendo que se alguém chega ao site e vê que o mesmo é aquilo que procura, tende a ver mais páginas
  • Clientes que vistam páginas especificas: Gosto especialmente de ter uma lista dos clientes que vistam a página de contatos. É muito possível que se tenham tornado clientes.
  • Clientes que visitaram o site 30, 90, 180 até 540 dias: Podemos ter listas grandes de visitantes. São uteis para fazer publicos-semelhantes.
  • Clientes que converteram: Lista espetacular. Já não são só visitantes, mas clientes que converteram algum dos objetivos que eu tenho definido num website. Também é ótimo para ir buscar públicos semelhantes.

E muito mais. Com estes públicos posso fazer imenso retargeting ou remarketing. Não esqueçamos que as campanhas de display alcançam 90% da população mundial. É muito difícil não contactarmos com uma campanha de display que tenha um numero de frequência razoável. Em alguns casos estamos sempre a ver anúncios de determinada empresa.

Conclusões

Este foi o artigo mais longo que escrevi até á data para o Google Ads Para Todos. Se você está a ler este parágrafo é natural que tenha lido todo o artigo. Dou-lhe os meus parabéns. Creio que nem 5% dos leitores chegarão aqui.

Espero no entanto que leve daqui o mesmo entusiasmo que eu levei quando estudei estas matérias pela primeira vez.

O mundo do targeting do Google Ads é apaixonante. Acho que pode fazer a diferença entre uma conta com resultados normais e uma conta de Google Ads que transforme efetivamente uma empresa e o seu negócio.

Uma palavra de aviso. Ao longo deste exercício falámos sobre diversas formas de segmentar as nossas campanhas. Temos sempre que ter cuidado em verificar como está o “reach” ou o alcance das nossas campanhas.

Quanto mais segmentamos mais reduzido vai sendo o numero de pessoa com que falamos. Podemos chegar a um ponto que pondo “layer” sobre “layer”, certa altura, já não estejamos a falar com uma quantidade relevante de pessoas.

Também é verdade que  na maior parte dos meus clientes o problema é quase sempre o contrário. Ou seja, a quota de impressão dos meus anúncios é sempre mínima.

Pro Tip: Uma forma de fazer melhor uso do orçamento limitado das nossas campanhas de Google Ads é utilizar públicos-alvo. Ou exclusões de públicos-alvo.  Queremos ter uma quota significativa nos públicos que tenham maior propensão em se tornar nossos clientes.

Se estamos a tentar apanhar o peixe com uma rede demasiado grande podemos reduzir a largura da rede e faze-la mais fina. Vamos conversar só com os públicos-alvo no google ads que façam sentido.

Se a rede for demasiado pequena, podemos sempre voltar a abri-la.

Aproveitemos ainda estas segmentações para falar de forma diferente com tipos de cliente diferentes.

Há produtos por exemplo que se vendem de forma completamente diferente a homens ou mulheres. Isto para ir à segmentação mais básica.

Por exemplo o perfume de mulher. Para um homem o perfume de mulher é uma prenda. Vamos querer dizer algo como : “ofereça esta Natal algo que ela nunca vai esquecer”.

Mas se tivermos a segmentar a nossa campanha para mulheres já mudaremos o diálogo para algo como: “O perfume que vai garantir que o conquista para sempre”.

Tirando a minha falta de inspiração a esta hora do dia, penso que deu para entender o que quero dizer.

Mesmo depois destas explicações é mais do que normal que tenha duvidas. Oiça, eu continuo a ter duvidas e já ando nisto há anos! Portanto, não hesite, escreva-nos, deixe um comentário ou contate a nossa empresa para o podermos ajudar. É para isso que existimos.

Ultimo pedido que tenho para si. Se gostou do que leu e tem colegas ou amigos a quem acha que lhes pode interessar, partilhe.

Caso ainda não soubesse tenho um canal no youtube dedicado só a temas relacionados com o Google Ads. Faça-me uma visita e subscreva o Google Ads para Todos.

Até breve,

José Alexandre Trindade

José Alexandre Trindade

Bem Vindo ao nosso Blog

Acompanhe todas as notícias que vamos produzindo sobre Marketing Digital. 

Conteúdo atual e interessante sobre as várias ferramentas e canais de marketing digital. Desde novas tendências, até noticias sobre lançamentos recentes. 

Blogs Mais Interessantes
Blogs Mais Interessantes

Uso da Internet em Portugal